Black MIDI – O meu vicio musical que não é para qualquér PC (UPDATE 02/12/2017)

Share on Google Plus!

Eu disse que o primeiro video era em homenagem ao ator Stefán – que também teve um problema de saúde – más não. Era para outra pessoa. No mais, boa leitura.

Eu vou começar o post com um video feito em homenagem ao ator Stefán Karl Stefánsson, que interpretava o vilão mais amado de Lazy Town.

Atualmente, eu ando muito viciado em BlackMIDI. E tudo isso começou com um video exibindo gráficos coloridos que representam nótas musicais.

Wonderful!

Mas, que ca#$”@## é isso?

Calma, pessoa que caiu de paraquédas aqui! Eu darei uma bréve explicação. Digamos que um arquivo MIDI é a fórma mais “primitiva” de música digital. – Ou nem tanto. – Se você tem – ou conhece alguém que tenha – um piano eletrônico e/ou qualquér outro sintetizador de som, já deve, ao menos, ter ouvido falar de MIDI. O seu PC mesmo, pode sintetizar instrumentos musicais com MIDI

Enfim… MIDI é a fórma mais “literal” do computador interpretar um audio

Mas e as Black MIDI?

Como compositor, eu uso softwares que simulam partituras. E o som que cada nóta emite, vêm de um sintetizador que tenta simular isso. E as BlackMIDI são chamadas assim pelo fato das nótas parecerem uma mancha preta na téla. Como nesse video do kakakakakaka1998, que é pioneiro nisso.


Mas, esse prazer tem um custo para o computador.

Ao contrário de um arquivo MP3, um arquivo MIDI não é compactado. Sendo muito utilizado, principalmente, pelos karaokê players, um arquivo MIDI de uma hóra, exige muito mais do computador do que um MP3. Para ouvir uma MIDI com 500.000 nótas é preciso um PC que consiga renderizar gráficos 3D de 6ª geração, pelo menos. Já um MP3, você pode ouvir vários simultâneamente em seu smartphone.

Fiquem com uma listinha de videos para animar o seu dia.