Mulheres (FODAS!) ciêntistas (do século 21)

IÊeêêêêêiiiiiii!!! Este post é sobre Mulheres ciêntistas. Como alguém que há anos acompanha as publicações sobre divulgação ciêntífica (meio acadêmico), mesmo no século 21, eu ainda não vejo muitas mulheres ciêntistas.

Seja química, tecnologia (em geral), até na "arte" da análise das expressões corporais. Vai desde o (primitivo) estereótipo de mulher que gosta de fazer bolo o dia todo, até nerds que dão uma aula sobre algoritimos. São mulheres fodas e que merecem destaque! E neste post, eu divulgarei algumas que acompanho há anos todas as suas publicações.

Carol Portilho

Certificada em anãlise de expressões corporais, ela é o que pode ser chamada de "poligrafo humano". Sem saber, as pessoas fazem pequenas expressões corporais (de maneira inconsciênte e além da crença de "os olhos falam), que evidenciam qual emoção a pessoa está sentindo. A coisa é muito mais complexa do que muitos que lêem isto acreditam ser e é bom dar uma assistida nos vídeos e procurar saber mais sobre isso, pois assim fica um pouco mais fácil se livrar de psicopatas e estupradores.

Júlia (e seus blocos)

Essa eu acompanho desde o tempo em que ela estava concluindo o curso de engenharia eletrônica. E hoje ela tem o seu próprio negócio, que é uma tecnologia que segue um conceito de "blocos". Você tem uma explicação mais detalhada no vídeo acima. Abaixo você vê uma tentativa de fazer uma vitróla.?

Laura e Ana (Nunca vi um ciêntista)

Química, Biologia e bolo (Laura ama bolo). Com uma pitada de humor e informações mastigadas, para que nós, merus peoplesz, possamos entender a explicação, essas duas me fazem RIR PARA UM CARALEO enquanto eu aprendo química e biologia.

Eu falei sobre bolo. MAS QUE CARALHOS ISSO TEM A VER COM CIÊNCIA? Eu explico, pessoa que fala muito palavrão!

Já parou para pensar o porque do bolo crescer quando você assa depois de colocar o fermento e fica macia depois que você mistura a clara em neve? Tudo é um monte de reações químicas e um bolo macio é uma obra de arte da ciência.

Camila Laranjeira e Virginia Fernandes (Peixe Babel)

Brazuka especialista em inteligência artificial. Algorítimos (com base no que você acessa diariamente) decidindo o que você vê, até algorítimos que "rastreiam" o conteúdo na internet e facilitam a busca online (Google, Duck Duck Go entre outros). É difícil escapar e resta reeducar a populaçâo para ir atrás do conteúdo, e não esperar que ele chegue.

BUT... algorítimos também ajudam. Essa brazuka está trabalhando em um algorítimo que (tenta) restringir o acesso, reportar e apagar o conteúdo sobre pedofilia. Ela não tem acesso direto as imagens (para o bem de sua sânidade mental), mas tem o auxílio de quem trabalha na investigação e prisão dessas pessoas que fazem a prática da pedofilia.

É isso. Mulheres fodas e que fazem trabalhos fodas! Seria bom se, pelo menos, 50% das mulheres no mundo inteiro fossem ciêntistas. Um beijo na boca de todo mundo e falows!